Yellow Bike: uma volta por SP pelo app de aluguel de bicicletas - Mídia Paulistana | Explorando SP em 360º

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Yellow Bike: uma volta por SP pelo app de aluguel de bicicletas

Compartilhe
A bicicleta vem se tornando um meio de transporte para cada vez mais pessoas ao longo dos anos. Mais saudável, boa para corpo e mente, e sustentável, ela ainda é capaz de deixar os trajetos diários mais divertidos. E, justamente para aproveitar esse crescente uso, a Yellow Bike, startup de compartilhamento de bicicletas, começou a operar em meados de 2018; conheça mais sobre o serviço através da experiência completa por uma longa volta por SP usando a bicicleta amarela.

O app também está disponível em outras cidades brasileiras: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Santos, São José dos Campos, Vitória e Ilhabela.

O que é a Yellow Bike?

A ideia é simples: por meio de um app para celular, você descobre bicicletas que estão por perto. Após isso, basta ir até a bike, escanear o código de barras que fica localizado atrás do banco - ou digitar o número do código -  e sair pedalando.

A bicicleta pode ser deixada em qualquer lugar - se atentando apenas para a zona de operação dentro de cada cidade, conforme mapa do aplicativo.

Para terminar, basta bloqueá-la manualmente via cadeado, que a "corrida" finaliza automaticamente no app.

Quanto custa a Yellow Bike?

O valor de aluguel da bicicleta Yellow comum é de R$1 a cada 15 minutos de viagem. E não há cobrança fracionada, ou seja, se você usar o serviço por 16 minutos, será cobrado R$2, e assim sucessivamente.

Usando o app da Yellow Bike por SP


Minha segunda experiência com o app da Bike Yellow foi em um longo trajeto, saindo do bairro de Presidente Altino, em Osasco, e indo até o Parque Villa Lobos, localizado na Zona Oeste de São Paulo -, já havia utilizado o aplicativo uma vez, mas somente dentro do parque mesmo.

A proposta da empresa é muito boa, mas ainda existe um "problema" em relação a encontrar bikes em determinadas regiões, especialmente se estiver com mais pessoas à procura da 'amarelinha'. Isso não é muita novidade para quem já conhece mais do serviço, pois a empresa está de fato priorizando determinadas áreas, mas no caso de um "marinheiro de primeira viagem", a experiência pode ser bem desconfortável.

Qualidade e conforto

Bom, passada a saga para encontrar a bicicleta, chegou a hora de testar a funcionalidade dela pelas ruas, em busca das ciclofaixas de SP - que serão assunto para um outro artigo - ou calçadas para chegar ao meu destino.

Para pedalar a bicicleta atende bem, é relativamente leve - menos para as subidas mais íngrimes -, e possui cestinha para acomodar utensílios e deixar a viagem mais confortável.


E falando no quesito conforto, apenas o selim (ou banco da bicicleta) que incomoda um pouco, pois ele tem tamanho padrão, além de nem sempre estar nivelado. Com isso, após algum tempo pedalando acaba causando desconforto.

Trajeto completo e dados gerais

No fim, considerando minha ida e volta, o app contabilizou 2h57min, com 15,3km percorridos, e custo final de R$12. Ele deu ainda um estimativa de gasto de calorias (885) e quantidade de CO2 que deixou de ser liberado na atmosfera (-3,1kg).

Considerações finais:

Desde o lançamento, eu já havia considerado a Yellow Bike um serviço de mobilidade promissor. Infelizmente, por questões de adequação internas da empresa, ele foi sofrendo algumas restrições, especialmente relacionadas a determinadas regiões da cidade de São Paulo.

Atualmente, por exemplo, estacionar a bike em área restrita está sob pena de pagar R$30 de multa -, o que acaba indo um pouco na contramão da proposta original, que é a mobilidade urbana acessível.

No geral, quando se consegue um bicicleta sem muitos transtornos, o serviço atende muito bem, a preço justo e com conforto considerável para trajetos menores ou sem muitas subidas.

Um adendo final para os usuários: como observadora das bikes Yellow por SP, não é raro ver diversas bicicletas com partes quebradas ou completamente tortas.

Na minha opinião, se a gente espera que a empresa reconsidere e deixe o serviço com atendimento mais amplo, também devemos fazer a nossa parte para cuidar da integridade das bikes, não é mesmo?

Por fim, nem que seja vez ou outra, vá de bike, e veja a cidade de São Paulo por outro ângulo!

Post Bottom Ad

Responsive Ads Here